Zika Vírus: rumores e teorias que você deve duvidar

24 fev zika-rumors-listy02-tmagArticle

O artigo publicado originalmente no The New York Times/Health, em 19 de fevereiro de 2016, faz um resumo simples e direto, que pode nos ajudar a interromper essa onda de boatos que correm nas redes sociais e que só colaboram para confundir a população em geral e dificultar o combate ao vírus de forma cientificamente comprovada.


Título original: Zika Virus Rumors and Theories That You Should Doubt

Embora não haja nenhuma prova absoluta de que o vírus Zika esteja por trás da onda de microcefalia no Brasil e surtos da síndrome de Guillain-Barré em seis países, as principais autoridades de saúde do mundo estão perto de afirmar que sim. Continuar lendo

Grupo anti-OGM ataca o Aedes do bem

12 fev Aedes_aegypti
A Oxitec, uma empresa britânica, vem testando no Brasil uma maneira de controlar a população do Aedes aegypti usando mosquitos machos geneticamente modificados.  A ideia é que esses machos quando soltos se reproduzirão com fêmeas no meio ambiente produzindo crias inviáveis. A técnica usada é a transgenia. Um gene produtor da proteína tTA é inserido no DNA do mosquito. Essa proteína desregula a expressão de outros genes  causando o mau funcionamento do organismo e por fim a morte. Porém o gene produtor da tTA pode ser “desativado” pela presença do antibiótico tetraciclina. Esse detalhe é importante, pois usando tetraciclina é que se garante que os mosquitos transgênicos machos consigam se desenvolver normalmente em laboratório até a soltura. A cria fecundada pelo mosquito transgênico herda o gene da tTA do pai, mas como ela cresce no meio ambiente (e não no laboratório) não é inoculada com tetraciclina e portanto não consegue se desenvolver. Além disso, a fêmea do Aedes geralmente se reproduz somente uma vez, garantindo que se ela o fizer com o macho transgênico toda sua prole será eliminada.
A ideia tem tudo para dar certo. A técnica transgênica é bem estabelecida, a tática ataca especificamente o Aedes sem destruir ou contaminar outros organismos como inseticidas inevitavelmente fazem e o mosquito macho transgênico não pica portanto não transmite doenças. Modelos matemáticos podem ser usados para determinar quantos e onde soltar os mosquitos transgênicos, minimizando o custo e maximizando o impacto. Deveria portanto ter todo o apoio da sociedade, certo?
Errado. A BBC Brasil publicou ontem uma matéria mostrando que um grupo de cientistas e ambientalistas se colocou contra os testes e está tentando barrar a ideia. Quem são e quais são seus argumentos?

Continuar lendo

Ponto de vista: por que devemos defender o direito de ser ofensivo

26 out _86285024_taped-mouth

Por Roger Scruton, escritor e filósofo britânico.

Para pessoas como eu, educadas na Grã-Bretanha do pós-guerra, a liberdade de expressão tem sido uma firme premissa do modo de vida britânico. John Stuart Mill expressou o ponto:

O mal peculiar em silenciar a expressão de uma opinião é que isso rouba a raça humana; a posteridade, bem como a geração existente; aqueles que discordam da opinião, ainda mais do que aqueles que a defendem. Se a opinião é certa, eles são privados da oportunidade de trocar o erro pela verdade; se errada, eles perdem, um benefício tão importante, a percepção mais clara e a mais viva impressão da verdade, produzida por sua colisão com o erro.

Continuar lendo

Workshop nova-era na USP

1 set Hurtak

Workshop na USP-Ribeirão Preto sobre “mente quântica” ministrado por americano que relata ter tido uma “experiência face a face e direta com dois seres da Inteligência Superluminar Maior”. Continuar lendo

Alexander comprova o espiritismo novamente

26 nov Alexander Moreira Almeida (esquerda) e seu grande amor Chico Xavier (direita).

Alexander Moreira Almeida está de volta na mídia com mais um estudo científico que supostamente comprova a veracidade das cartas psicografadas por Chico Xavier. Pelo menos a matéria foi pequena, apenas um vídeo de 1min30s onde Alexandre resume os seus achados. Mas, como veremos a seguir, só o fato de que O Globo decidiu dar atenção a essa suposta “pesquisa” já é razão suficiente para questionar a qualidade do jornalismo dessa empresa.

Continuar lendo

Hipnose, sugestão e picaretagem

17 nov "Mesmer sentava-se em frente ao paciente com seus joelhos tocando os joelhos dos pacientes. Ele pressionava os polegares dos pacientes em suas mãos e olhava apaixonadamente nos olhos dos pacientes. Em seguida, movia suas mãos dos ombros dos pacientes para baixo ao longo do braço e, em seguida, pressionava os dedos sobre a área abaixo dos diafragmas, às vezes mantendo suas mãos lá por horas. Os pacientes tinham convulsões e sensações [2]."

“Tá amarrado, tá amarrado!” grita o pastor e os braços da mulher se contorcendo freneticamente no chão fecham-se obedientemente por trás das suas próprias costas. O público se agita e o pastor pede calma, “o demônio tá amarrado, tá furioso mas tá amarrado!” A mulher agora sentada no chão faz cara feia, bufa, esbraveja mas permanece com os braços por trás das costas como se estivesse realmente amarrada. “Eu vou assoprar da minha boca,” comanda o pastor aos berros, “e vai sair o fogo do espírito santo, e ele vai cair: BUUUUUUUUUU!!” A mulher cai no chão, esperneando loucamente. Quando o pastor toca na sua cabeça e grita “em nome de Jesus, SAI!” ela prontamente se acalma, relaxa os braços, volta a si e levanta aos aplausos e gritos de “glória a deus” da platéia. Continuar lendo

Onde estão as premissas injustificadas da ciência?

18 set

Um amigo me sugeriu comentar o texto As Premissas Injustificadas da Ciência de autoria de Eduardo Pinheiro. O texto é longo, o autor toca em muitos pontos e parece ativamente evitar tomar uma posição clara sobre qualquer um deles. Pelo que pude entender, o texto é uma tentativa de criticar a ciência, de demonstrar que existem tanto viéses intrínsecos quanto paradigmas filosóficos que impedem os cientistas de descobrir a verdade. Acho que pude identificar dois argumentos básicos que sustentam toda essa crítica: parece basicamente um mix de argumentos pós-modernos (a verdade não existe, os cientistas a constroem com base em seus preconceitos) com misticismo espírita (dualidade alma-corpo ou imaterialismo). Continuar lendo

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 7.355 outros seguidores